Arma que matou promotor argentino foi disparada a 15 cm de distância

Irã negou envolvimento na morte de Alberto Nisman. O promotor foi achado morto no último domingo

Por O Dia

Argentina - O tiro que matou o procurador federal argentino Alberto Nisman foi disparado a cerca de 15 a 20 centímetros de sua cabeça, é o que sustentam fontes judiciais ouvidas pelo jornal oposicionista "El Clarín". Segundo a publicação argentina, a análise balística da Polícia Federal contesta a tese de suicídio. Porém, os dados "ainda não foram oficializados", mas estariam descritos no relatório da perícia e da autópsia.

Procurador argentino que denunciou Kirchner é encontrado morto em casa

Nisman acusou Kircher de acobertar os culpados na explosão ao centro judaicoReuters

Nisman foi encontrado morto no último domingo com um tiro na cabeça disparado por sua própria arma calibre 22. A princípio, o governo argentino sustentava a hipótese de suicídio. Porém, até mesmo a presidenta do país, Cristina Kirchner, afirmou não acreditar que ele tenha tirado a própria vida.

Irã nega envolvimento

O ministro iraniano das Relações Exteriores, Mohamed Yavad Zarif, negou que seu país esteja envolvido de alguma maneira com a morte de Nisman. "O Irã não entra em toda essa discussão, pois é uma questão que pertence ao debate interno na Argentina. É deplorável que vários procuradores que acusaram o Irã tenham sido acusados de corrupção ou se matado", disse Zarif.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência