Por felipe.martins

Rio - O concurso de Miss Universo, na noite de domingo em Miami, Estados Unidos, foi marcado por momentos de ‘saia justa’ envolvendo as três competidoras que formaram o ‘pódio’ da disputa. Na rodada de perguntas às misses, a campeã Paulina Vega, da Colômbia, a vice, Nia Sanchez, dos Estados Unidos, e a terceira colocada, Diana Harkusha, da Ucrânia, cometeram gafes.

Nia%2C a americana%2C foi criticada por fala sobre terroristasEfe

O caso que gerou mais repercussão envolveu a americana. Questionada sobre a mensagem que enviaria aos grupos terroristas, a bela de 24 anos acabou dando uma ‘resposta padrão’ de concursos de beleza. “Como Miss Estados Unidos, quero sempre espalhar uma mensagem de esperança, amor e paz”, afirmou. O comentário foi muito criticado nas redes sociais. Atualmente, os Estados Unidos estão no 14º ano da Guerra ao Terror, doutrina criada pelo ex-presidente George W. Bush após os ataques às Torres Gêmeas em 2001, e vêm enfrentando o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) na Síria e no Iraque. Três civis americanos já foram mortos pelo EI.

Já a Miss Ucrânia, Diana Harkusha, 19, foi questionada a respeito de que grande contribuição seu país poderia dar ao mundo. “No momento, a mais importante contribuição é direcionar todas as nossas energias para apoiar nosso exército”, disse, num discurso que parecia ensaiado.

Desde março de 2014, grupos rebeldes separatistas vêm enfrentando as Forças Armadas do país. O governo ucraniano acusa a Rússia de apoiar os insurgentes. Os Estados Unidos e as potências da União Europeia também questionam as ações do presidente russo, Vladimir Putin.

Paulina, 22, por sua vez, foi alvo de piadas ao demorar muito tempo para responder às questões. Em uma delas, sobre o que mulheres poderiam ensinar aos homens, a vencedora levou alguns segundos até se decidir por um simples “igualdade” como resposta. A brasileira Melissa Gurgel ficou entre as 15 semifinalistas, de um total de 88 beldades que participaram.


Você pode gostar