Por felipe.martins

Munique  - A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, o presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, e o vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, se reuniram neste sábado em Munique para analisar a crise no leste da Ucrânia e as possibilidades de uma nova proposta de paz com a Rússia. No encontro, realizado durante a Conferência de Segurança de Munique, Angela Merkel descartou a possibilidade de enviar mais armas ao governo da Ucrânia para enfrentar os separatistas pró-Rússia.

Angela Merkel (foto) e François Hollande concordaram em adotar sanções mais duras contra PutinReuters

“Estou intimamente convencida de que este conflito não pode ser solucionado militarmente. Os avanços que a Ucrânia precisa não podem ser alcançados com mais armas”, disse a chanceler. Durante seu discurso, Merkel declarou ainda que não é certo que a mais recente tentativa de paz entre os dois países, apresentada por ela na sexta-feira em Moscou, ao lado do presidente francês, François Hollande, leve a um acordo. “Não é certo que esta negociação tenha êxito, mas compartilho com o presidente François Hollande que vale a pena tentar”, disse a chanceler alemã.

DIREITO DE DEFESA

Já o vice-presidente dos EUA, Joe Biden, afirmou que o governo americano busca uma solução pacífica para o conflito na Ucrânia, mas acrescentou que Kiev tem o direito de se defender da Rússia e que os Estados Unidos podem fornecer meios para isso.

“Eu e o presidente concordamos que precisamos fazer todos os esforços para salvar vidas e resolver o conflito pacificamente. Como a chanceler Merkel disse hoje, a tentativa vale a pena”, disse Biden, que completou: “Muitas vezes, o presidente Putin (da Rússia) prometeu a paz e entregou tanques, tropas e armas. Então, vamos continuar a ajudar a Ucrânia com assistência de segurança, não para encorajar a guerra, mas para permitir que a Ucrânia se defenda.”

Biden declarou ainda não acreditar que exista uma solução militar na Ucrânia: “Mas, para ser igualmente claro, não acreditamos que a Rússia esteja certa de fazer o que está fazendo. Acreditamos que devemos buscar uma paz honrada.”

Na sexta-feira, Angela Merkel e François Hollande obtiveram a concordância do presidente russo Vladimir Putin para a elaboração de um plano de paz que coloque fim a dez meses de guerra no leste da Ucrânia, que já deixou 5.300 mortos. A iniciativa de paz franco-alemã, apoiada por Washington, União Europeia e Otan, é a última tentativa de acabar com o conflito, que provocou uma crise internacional.
Munique

Você pode gostar