Brasileiros vão pouco ao dentista

Pesquisa mostra que 48% não acham as consultas importantes e que 88% têm cáries

Por O Dia

Rio - Para quase metade da população do país (48%), o hábito de  ir ao dentista regularmente não é importante. Segundo a pesquisa, feita pela revista ‘Saúde’, 88% dos brasileiros sofrem de cáries, 90% de gengivite e 30% de periodontite, que é a infecção dos ossos que sustentam os dentes. Em casos mais graves, a higiene precária, aliada à má alimentação, pode acarretar doenças cardiovasculares e respiratórias.

O dentista Mário Groisman destaca que, no Brasil, há uma cultura de ingerir açúcar com frequência, o que aumenta o número de bactérias na boca. “É preciso restringir a ingestão de açúcar, que está presente não só em doces, mas em carboidratos, como arroz e macarrão”, alerta.

Outro dado identificado pelo estudo ‘O que os brasileiros sabem sobre saúde bucal (e o que os dentistas deveriam contar)’, após entrevistar 1.818 voluntários, foi o de que 25% das pessoas com periodontite têm mais chances de desenvolver uma inflamação grave na película que envolve o coração, a endocardite. Isso ocorre quando os micro-organismos entram em contato com as feridas provocadas pela doença e percorrem a corrente sanguínea, chegando até o coração. A periodontite também é um perigo para os diabéticos, por aumentar a resistência à insulina. Segundo Mário, a atenção deve ser redobrada após cirurgias bucais. Ele explica que o surgimento de cáries próximo a locais onde há algum ponto pode evoluir para tumores na boca.

Para evitar os germes, o ideal é escovar os dentes antes de dormir, após acordar e depois de cada refeição, e utilizar o fio dental. Mas o estudo mostra que nem todos cumprem essas sugestões: 23% não limpam antes de adormecer; 24% não o fazem quando despertam e 27% não higienizam após comer. O especialista afirma que a boa limpeza exige o uso de pastas com flúor, que, ao se unirem com o cálcio dentário, fortalecem a região dentária e previnem de micro-organismos. “É importante também utilizar fio dental, porque somente ele consegue retirar as impurezas entre os dentes, onde normalmente surge a maioria das doenças bucais”, explica.

Consultas em dia, sempre

O levantamento mostrou que 60% dos pais só levam os filhos ao dentista quando eles têm entre 2 e 11 anos. Mas, quanto mais tarde os pequenos fizerem o tratamento, mais ficarão expostos a cáries: 53% das crianças de 5 anos já tiveram o problema no país.

Segundo o dentista Mário Groisman, o ideal é que as crianças sejam levadas ao especialista quando os primeiros dentes nascerem, entre os 6 e 8 meses de idade. Ele alerta também para o consumo de açúcar e de refrigerantes.

“Os pais devem montar um cardápio com frutas e verduras, para evitar cáries. Além da falta de limpeza e de idas ao dentista, muitas mães costumam provar um pouco da comida filho na mesma colher, o que passa bactérias para a criança”, diz.