Por tamara.coimbra

Vaticano - O Papa Francisco afirmou nesta sexta-feira que pagar salários sonegando impostos é um "pecado gravíssimo" e que os cristãos que fazem isso e depois dão donativos à Igreja, estão utilizando "Deus para encobrir a injustiça". Francisco convidou os presentes na missa matutina realizada na capela da Casa de Santa Marta a se perguntarem como é sua relação com seus funcionários e criticou os que lhes pagam burlando os impostos correspondentes.

"Não doe para a Igreja para suportar as injustiças que comete com seus empregados. Este é um pecado gravíssimo: É utilizar Deus para encobrir a injustiça", afirmou.

'Não doe para a Igreja para suportar as injustiças que comete com seus empregados', disse FranciscoEFE

Durante seu discurso, o bispo de Roma pediu aos presentes na missa que reflitam no período de Quaresma sobre se na relação com seus trabalhadores, estão incluídas "contribuições para sua previdência" e "para assegurar sua saúde", e definitivamente se são generosos e justos com eles.

"Não é um bom cristão aquele que não faz justiça com as pessoas que dependem dele. Também não é bom cristão aquele que não se desprende das coisas que necessita para dar ao outro que tenha necessidade", declarou o pontífice.

"Não é não comer carne nas sextas-feiras, não fazer diversas coisas, e depois fomentar o egoísmo, a exploração do próximo, a ignorância dos pobres", acrescentou em alusão a esse preceito da Igreja sobre a abstinência.

O Papa argentino também propôs que os fiéis se questionem se ajudam diariamente os mais necessitados como crianças e idosos. "Que coisa posso fazer pelas crianças, pelos idosos que não têm a possibilidade de serem visitados por um médico?", perguntou.

O máximo representante da Igreja Católica concluiu sua alocução pedindo que rezem por aqueles que estão nas prisões para que "o Senhor lhes ajude a mudar sua vida".

Você pode gostar