Afeganistão eleva para 300 o número de mortos pelas avalanches

Governo do país afirmou que o temporal de semana passada foi o pior dos últimos 30 anos

Por O Dia

Afeganistão - O chefe do Executivo do Afeganistão, Abdullah Abdullah, informou nesta segunda-feira que o número de mortos pela nevasca que castigou o país na semana passada já passa de 300, enquanto o governo continua recebendo reportes de novas vítimas e seguem em andamento as operações de resgate.

"Como primeiro passo estamos ainda tentando resgatar gente que está presa, além de proporcionar ajuda. Depois ajudaremos a reabilitar seus cultivos e casas", assegurou Abdullah em uma sessão do Conselho de Ministros.

Familiares de vítimas de avalanche no Afeganistão Reuters

Em seu discurso, o chefe do governo ressaltou a necessidade de tomar medidas adicionais para responder com efetividade aos desastres como o que atingiu na semana passada pelo menos 19 das 34 províncias afegãs. A província de Panjshir foi a mais castigada pelo temporal, com pelo menos 196 mortos, 100 feridos e 300 casas destruídas, segundo o vice-governador regional, Abdul Khabear Bakhshi.

Milhares continuam presos em zonas pouco acessíveis da província. "Levará pelo menos um mês para retirar a neve de todas as estradas e ter acesso aos povos remotos", lamentou Bakhshi, acrescentando que a população dessas zonas sofre escassez de alimentos, água e serviços médicos.

Perante esta situação, as equipes de segurança tratam de chegar às áreas mais montanhosas em helicópteros de resgate. O governo afegão declarou no sábado três dias de luto pelas vítimas causadas pelas tempestades de neve. Fontes oficiais afirmaram que este temporal, que teve um maior impacto nas zonas montanhosas, foi o pior nos últimos 30 anos

Últimas de _legado_Mundo e Ciência