Temporal intenso na Argentina deixa 10 mortos e mais de 5 mil evacuados

Desastre meteorológico começou no último dia 16 de fevereiro com a queda de 400 milímetros de água em 12 horas

Por O Dia

Argentina - O forte temporal que afeta desde a semana passada às áreas do norte e do centro da Argentina já deixou pelo menos 10 mortos e mais de 5 mil evacuados, além de consideráveis danos em serviços e transporte público, informaram fontes oficiais. A situação mais grave é enfrentada pela província de Córdoba (centro), onde há 2 mil pessoas evacuadas e 9 mortos como consequência das inundações, que castigaram principalmente as cidades de Balnearia e Idiazábal.

LEIA MAIS: Inundações e incêndios castigam várias regiões da Argentina

"Se o clima continuar melhorando, o número de evacuados vai diminuir nas próximas horas", garantiram fontes do governo provincial. O desastre meteorológico começou no último dia 16 de fevereiro com a queda de 400 milímetros de água em 12 horas em uma área de serras no norte da província, enquanto as chuvas que afetaram o noroeste começaram no início da semana passada.

Inundações castigam várias regiões da Argentina e deixam mais de 4 mil desabrigadosEfe

Na província de Santiago del Estero (centro-norte), as chuvas deixaram um morto, 500 evacuados na capital provincial e cerca de 1.100 no interior. "Há 48 horas estamos trabalhando nos bairros da zona sul da capital que foram os mais afetados", afirmaram fontes de Defesa Civil da capital de Santiago del Estero. Na província de Santa Fé, onde os evacuados chegam a cerca de 1.200, a capital provincial é a mais afetada com 526 pessoas evacuadas, segundo indicaram fontes da Defesa Civil.

"Durante sete dias caíram de forma uniforme cerca de 500 milímetros de água, especialmente no centro da província", confirmou Marcos Scajavillo, secretário de Defesa Civil de Santa Fé. "Não há vítimas fatais e todos os afetados estão sendo atendidos pelo Ministério de Desenvolvimento provincial", acrescentou. Na província de San Luis, as cidades de Lafinur y Los Cajones, situadas no limite com Córdoba, permanecem isoladas e 600 pessoas precisaram ser evacuadas pelo aumento do nível das águas de um rio.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência