Maduro ridiculariza decisão dos EUA e diz que pode ir contestar Obama

Presidente da Venezuela exige que Estados Unidos revoguem decreto que declara país como uma ameaça

Por O Dia

Venezuela - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ridicularizou na noite desta quinta-feira a decisão dos Estados Unidos de classificar o país como uma ameaça à sua segurança e disse que poderá ir a Washington para contestar o presidente norte-americano, Barack Obama.

"Exigimos, por meio de todos os canais diplomáticos mundiais, que o presidente Obama retifique e revogue o decreto imoral que declara a Venezuela uma ameaça para os Estados Unidos", disse.

Nicolás Maduro durante discurso em Caracas%2C na Venezuela%2C nesta quintaReuters

Na pior atrito entre os inimigos ideológicos desde que Maduro tomou posse em 2013, os EUA declararam no início desta semana "emergência nacional" pela "ameaça incomum e extraordinária" da Venezuela, e impuseram sanções a sete funcionários venezuelanos, acusando-os de corrupção e violação de direitos.

O governo Maduro exigiu provas da ameaça da Venezuela à segurança dos EUA. Por outro lado, acusa Washington de ajudar golpistas e preparar uma intervenção militar no país.

Autoridades dos EUA dizem que a intenção de Obama é fazer com que o governo da Venezuela mude seu modo de agir, e não derrubá-lo.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência