Por bferreira

Rio - O pouco dinheiro no bolso é citado como a principal causa de dificuldades para dormir entre os brasileiros. Pesquisa feita em dez países, com objetivo avaliar a qualidade do sono, revelou que, no Brasil, 39% dos entrevistados têm problemas ao ir descansar à noite por causa de preocupações financeiras. E 33%, devido a estresse no trabalho. Por aqui, estes problemas afetam mais gente, na comparação com outras nações.

Segundo a neurologista e especialista em Medicina do Sono Andrea Bacelar, o sono está diretamente relacionado a aspectos emocionais. Por isso, diz a especialista, problemas e preocupações podem prejudicar o momento de descanso. Ela lembra que é preciso desacelerar a atividade mental, para que o corpo relaxe e a pessoa consiga dormir. “Uma das opções, é escrever sobre suas metas e objetivos antes de deitar. Assim, você deixa seus problemas documentados e minimiza o ritmo da mente”.

Outro ponto em que os brasileiros se destacam negativamente é no curto tempo entre o momento do jantar e o de ir para a cama. No país, em média, as pessoas dormem menos de duas horas após a refeição. “Isso pode provocar um aumento de refluxo e ainda alterar o metabolismo”, alerta Andrea.

O estudo ‘Sono: Uma Perspectiva Global’ analisou 7.817 adultos. De acordo com o levantamento, 21% acham que a tecnologia é o que mais prejudica o sono. Porém, 67% dormem com o aparelho ao lado. Andrea explica que, ao verificar o eletrônico ao se deitar, as pessoas continuam conectadas com o mundo, deixando de aproveitar o repouso da melhor forma. “O corpo fica em alerta quando ouve um barulho de mensagem. O ideal é desligar e nem utilizar o despertador do aparelho”, disse, acrescentando que o sono é um fenômeno vital e fundamental para o restabelecimento para o dia seguinte.

Apesar de 83% dos entrevistados afirmarem que não dormem direito, só 4% procuram ajuda de um profissional para melhorar a qualidade do repouso. Sem o descanso, as pessoas se levantam mal humoradas, tontas, desconcentradas e ainda sonolentas, alerta.“Dormir mal atinge o aspecto físico e se torna um problema crônico. Normalmente, as pessoas procuram um médico de doenças específicas, sem considerar que o sono pode estar por trás do problema”, declara.

Você pode gostar