Por marina.rocha

Síria - Desde seu início, em março de 2011, a guerra na Síria já matou 215.518 pessoas entre civis, militares, milicianos e rebeldes. O dado foi divulgado neste domingo pela ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos em comunicado devido ao quarto aniversário do começo do conflito. A organização explicou ainda que entre as vítimas fatais há, pelo menos, 102.831 civis, 10.808 menores e 6.907 mulheres maiores de 18 anos. Em outubro do ano passado, o grupo divulgou que o número de mortos na guerra tinha chegado a mais de 200 mil, embora várias organizações acreditem que mais de 220 mil pessoas já tenham morreram no conflito.

Além disso, segundo o Observatório, morreram 36.722 membros de brigadas opositoras ao regime do presidente sírio, Bashar al Assad, enquanto as baixas nas fileiras do exército foram de 46.138. Entre as milícias pró-governo, a ONG contabilizou 30.662 mortos, enquanto registrou 674 vítimas fatais entre o grupo xiita libanês Hezbollah, que luta a favor de Damasco. Também caíram no campo de batalha 2.727 combatentes estrangeiros xiitas (pró-regime sírio) procedentes do Irã e de outros países árabes e asiáticos.

A organização ressaltou na nota divulgada que documentou um total de 3.147 casos de pessoas mortas que não foram identificadas. O grupo disse que os números não incluíram mais de 20 mil pessoas desaparecidas nos centros de detenção dos órgãos de segurança do regime, e outras milhares desaparecidas em operações das tropas e suas milícias em várias zonas onde foram cometidos massacres. Além disso, não se sabe o destino de cerca de sete mil soldados e milicianos que estão presos e de duas mil pessoas sequestradas pelos insurgentes e jihadistas, que as acusam de apoiar o governo sírio.

Você pode gostar