Por victor.duarte

Paquistão - Os protestos realizados nesta segunda-feira em diversas localidades por conta do ataque com bombas ocorrido no domingo contra duas igrejas cristãs na cidade de Lahore, no leste do Paquistão, em que 15 pessoas morreram e 75 ficaram feridas, deixaram uma pessoa morta e 13 feridas.

De acordo com o superintendente médico do Hospital Geral de Lahore, Mohammad Saeed Sohbin, a morte aconteceu quando uma mulher atropelou um grupo que se manifestava. "Os manifestantes estão exigindo a prisão dos responsáveis pelos ataques deste domingo e a melhoria da segurança nas igrejas de modo que estes incidentes não aconteçam novamente. Não temos segurança suficiente em nossas igrejas", disse o secretário do Arcebispado de Lahore, Mushtaq Ghulam.

Protestos por ataques em igrejas no Paquistão deixam 1 morto e 13 feridos Reuters

O grupo insurgente Jamaat-ul-Ahrar (TTPJA) reivindicou a autoria do ataque e advertiu que continuará realizando atos desse tipo "até que o regime islâmico seja aplicado". "Que os governantes ímpios nos detenham se conseguirem", disse o porta-voz da formação terrorista, Ehsanullah Ehsan, em comunicado que a Agência Efe teve acesso. Na última semana, o TTPJA anunciou que voltou a se juntar com o principal grupo talibã do país, o Tehreek-e-Taliban Paquistão (TTP), do qual tinha se separado no ano passado por disputas internas.

Neste domingo, o papa Francisco lamentou os atentados, e pediu o fim da perseguição aos cristãos. "Com dor, com muito dor recebi a notícia dos atentados terroristas de hoje contra duas igrejas na cidade de Lahore, no Paquistão, que provocaram numerosos mortos e feridos", disse o pontífice com tom sério após o Ângelus dominical.

Morte ocorreu quando uma mulher atropelou um grupo que se manifestavaReuters


Você pode gostar