Participante é humilhado por cantora em programa de música: 'Você me dá nojo'

Jurada ofendeu candidato e afirmou que ele não era digno de ouvir o que ela tinha para dizer

Por O Dia

Nova Zelândia - O que parecia ser mais um dia de avaliação de participantes do programa de talentos X-Factor, da Nova Zelândia,  se transformou em humilhação em cadeia nacional no último final de semana. Isso porque a cantora Natalia Kills, um das juradas, ofendeu um candidato com palavras de baixo nível.


Após o participante Joe Irvine cantar o clássico do jazz "Cry Me a River" vestindo um terno bem alinhado e cabelos penteados para trás, Natalia Kills resolveu acabar com toda e qualquer esperança de o candidato passar para a próxima fase. "Senhoras e senhores eu vou apenas dizer o óbvio: nós temos uma cópia. Como uma artista que respeita a integridade artística e propriedade intelectual, eu estou realmente enojada em como você copiou o meu marido. Do cabelo até o terno, você não dá valor ou respeito para a originalidade? É barato, é nojento. É uma atrocidade artística. Eu estou absolutamente incomodada e constrangida por sentar aqui na sua presença”

O marido da cantora, Willy Moon também se pronunciou: "Para mim isso tudo parece um pouco brega e absurdo. É como Norman Bates — personagem de “Psicose” — vestido com as roupas da mãe. Só que um pouco mais bizarro. Sinto que você vai costurar a pele de alguém na sua cara e depois matar todo mundo na plateia. Mas… É isso que você vai fazer?”.

Natalia então completou: “É o que eu disse. É nojento. Você me deixa enojada”, continuou Natalia. “Você não tem identidade. Não suporto. Estou com vergonha de estar aqui”, finalizou.

Apesar de todo o constrangimento, os outros jurados defenderam o rapaz. Melanie Blatt tentou acalmar Joe ao dizer que ele estava melhor do que o marido de Natalia Kills e que ele tinha, sim, muito talento. 

Depois do episódio vexatório, o casal foi demitido da bancada do programa neo-zelandês após o público se revoltar e entregar para a produção do programa uma petição com mais de 15 mil assinaturas.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência