Ataque terrorista em Parlamento da Tunísia deixa pelo menos 19 mortos

Itamaraty disse que 'não há brasileiros entre as vítimas fatais, nem entre os feridos que portavam alguma documentação'

Por O Dia

Túnis - Um ataque terrorista deixou pelo menos 19 mortos na Tunísia nesta quarta-feira. Homens vestidos como soldados e com um forte armamento atacaram as imediações do Parlamento tunisiano, fazendo dezenas de pessoas de reféns em um museu nas proximidades, informou uma autoridade do governo.

Forças Armadas da Tunísia cercam local do atentadoReuters

O tiroteio começou no início da tarde, segundo a agência de notícias estatal TAP. De acordo com as forças de segurança do país, dois agressores foram mortos em uma operação após horas de sequestro, e outro foi detido. No entanto, outros três atiradores estariam à solta.

Apesar das autoridades locais não saberem ao certo o que motivou o ataque terrorrista, a mídia local relatou que extremistas teriam sequestrado reféns no prédio e portavam granadas e fuzis Kalashnikov. Segundo o premier Habib Essid, além dos 17 turistas, morreram os dois atiradores, um agente de segurança e uma funcionária da limpeza. A agência Efe informou que, segundo fontes consulares latino-americanas, havia um brasileiro entre as vítimas. O Itamaraty negou a informação e disse que "não há brasileiros entre as vítimas fatais nem entre os feridos que portavam alguma documentação".

As Forças Armadas da Tunísia vêm combatendo militantes islamistas que emergiram no país depois do levante contra o governo autocrata de Zine El Abidine Ben Ali, em 2011. Além disso, milhares de tunisianos deixaram o país para lutar ao lado dos grupos militantes na Síria, Iraque e Líbia, e o governo teme que, ao retornarem, esses jihadistas que realizam ataques na Tunísia.


Últimas de _legado_Mundo e Ciência