Twitter acata pedido da Turquia e banimento será suspenso

Autoridades também bloquearam acesso ao YouTube após fotos de promotor morto serem divulgadas em mídias socias

Por O Dia

Turquia - O Twitter acatou pedido feito pela Turquia para remoção de fotos de um promotor de Istambul sendo mantido sob a mira de uma arma por militantes de extrema esquerda, e o bloqueio ao site de microblog logo será suspenso, disse uma autoridade do país nesta segunda-feira.

"O Twitter concordou em desativar contas e remover imagens relacionadas à situação com reféns da semana passada. O website será reaberto para acesso logo", disse à Reuters a autoridade.

"Os usuários em toda a Turquia poderão acessar o site dentro de uma hora", acrescentou.

O Twitter não estava disponível de imediato para comentar. O site havia dito anteriormente que estava trabalhando para restaurar o serviço.

Turquia bloqueia redes sociais para banir imagens de promotor morto

Autoridades turcas baniram o acesso ao Twitter e ao YouTube, do Google, nesta segunda-feira, após um juiz de Istambul impor um bloqueio ao acesso a sites de mídia social que mostravam fotos do promotor morto, Mehmet Selim Kiraz, sendo mantido sob mira de arma por militantes de extrema esquerda que foram tiradas horas antes de sua morte num tiroteio na semana passada.

As conversas com o YouTube ainda estavam em curso, disse a autoridade.

O Facebook disse que acatou a decisão de um tribunal turco exigindo que a companhia restringisse acesso a certos conteúdos ou enfrentaria um bloqueio a seu serviço. Um porta-voz da companhia disse que a empresa irá recorrer da decisão.

O porta-voz da Presidência da Turquia, Ibrahim Kalin, disse que um promotor exigiu o bloqueio pois algumas organizações de mídia haviam agido "como se estivessem disseminando propaganda terrorista" ao compartilhar as imagens da situação com reféns.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência