Por vinicius.amparo

Cidade do México (México) — A Polícia Federal do México deteve na Cidade do México um suposto envolvido no desaparecimento em setembro de 2014 de 43 estudantes em Iguala, município do estado de Guerrero, informou neste sábado a Comissão Nacional de Segurança (CNS).

Trata-se de Miguel Ángel Landa Bahena, identificado como integrante do círculo próximo a Gildardo López Astudillo, foragido da Justiça e acusado de ser chefe de um grupo criminoso em Guerrero, disse a CNS por meio de um comunicado.

Na noite de 26 de setembro de 2014 policiais corruptos detiveram os estudantes da Escola Normal Rural de Ayotzinapa e os entregaram a membros do cartel Guerreros Unidos, que supostamente assassinaram e incineraram os jovens por acreditar que faziam parte de um grupo rival.

A detenção de Bahena faz parte dos "trabalhos em torno da identificação, localização e detenção dos autores materiais dos fatos ocorridos em Iguala", destacou o órgão.

Quatro das pessoas detidas em outubro de 2014 e outra detida em novembro desse mesmo ano apontaram Bahena como um dos responsáveis das agressões contra os estudantes.

No momento de sua detenção, Bahena estava portando uma pistola carregada e tanto o detido como arma de fogo já estão à disposição do Ministério Público, destacou o boletim.

Você pode gostar