Por tamara.coimbra

Uruguai - O escritor uruguaio Eduardo Galeano morreu nesta segunda-feira, aos 74 anos, em sua cidade natal, Montevidéu. De acordo com o jornal espanhol "El País", o autor tinha sido hospitalizado na última sexta-feira por complicações de um câncer no pulmão, qua já havia sido tratado em 2007.

O escritor Eduardo Galeano começou muito jovem no jornalismo e nos mais variados gêneros literários como o ensaio%2C a poesia e a narrativaReuters

Autor de obras como “As Veias Abertas da América Latina” (1971) e “Memória do Fogo” (1982-1986), Galeano era uma dos principais autores uruguaios e latino-americanos. Ele nasceu em Montevidéu em 3 de setembro de 1940 é considerado um dos mais destacados escritores da literatura latino-americana. Galeano começou muito jovem no jornalismo e nos mais variados gêneros literários como o ensaio, a poesia e a narrativa.

O escritor, um amante do futebol e autor de "O futebol ao sol e à sombra" (1995), estreou no jornalismo com apenas 14 anos, desenhando caricaturas políticas.

Galeano foi redator chefe do semanário "Marcha" (1961-1964), diretor do jornal "Época" (1964-1966) e diretor de publicações da Universidade do Uruguai (1964-1973).

Em 1973, exilou-se em Buenos Aires, onde fundou a revista "Crise". Em 1976, continuou seu exílio em Barcelona (Espanha). O seu livro “As Veias Abertas da América Latina” foi censurado pela ditadura militar do Uruguai.

Galeano retornou ao país em 1985, quando foi restaurada a democracia.

O escritor deixou um texto inédito para ser publicado após seu falecimento. A editora Século XXI preparará a divulgação do texto, provavelmente ainda neste mês.

Com informações do iG e da EFE

Você pode gostar