Por victor.duarte

EUA - Um policial branco que matou a tiros um homem negro desarmado no condado de Tulsa, no estado de Oklahoma, foi formalmente acusado nesta segunda-feira de homicídio, informou o promotor Stephen Kunzweiler. Eric Courtney Harris, de 44 anos, morreu no último dia 2 de abril baleado por um policial de Tulsa, Robert Tacos, de 73 anos, que alegou acreditar que disparava uma pistola elétrica e não sua arma.

Kunzweiler esclareceu que, segundo a lei de Oklahoma, o termo significa "a omissão de fazer algo que uma pessoa razoavelmente atenta faria, ou a falta de cautela no exercício da atividade". Em um vídeo divulgado nesta segunda-feira pela imprensa americana, é possível ouvir o policial dizer "Oh, disparei nele. Desculpa", tiro dado em Harris após persegui-lo e paralisá-lo no chão com a ajuda de outros agentes. "Meu Deus, atiraram em mim", fala Harris no vídeo.

Ele alertou os policiais de que não conseguia respirar enquanto estava no chão com a boca para baixo sendo algemado. Neste momento um dos policiais ainda estava com o joelho em suas costas. "Pro inferno sua respiração", respondeu um dos policiais ao homem negro, que foi transferido em seguida de ambulância para o hospital da cidade, onde morreu uma hora depois.

O escritório do xerife argumentou em comunicado divulgado no mesmo dia do incidente que Harris tentava vender uma arma a um policial disfarçado, mas foi descoberto, saiu correndo e, então, foi dominado pelos oficiais. "À medida que o suspeito lutava com os policiais, um agente da reserva disparou sua arma de fogo, abatendo o suspeito", afirmou o comunicado, que destacou que Harris era um "conhecido" delinquente com antecedentes penais.

Homem tenta fugir do policial antes de tomar um tiro Reprodução


Você pode gostar