Por tamara.coimbra

EUA - Uma mulher foi filmada retirando à força um garoto que parece ser seu filho do tumulto nas ruas de Baltimore, nos Estados Unidos. Nas imagens, ela é vista estapeando o adolescente mascarado e dizendo frases como: "O que há de errado com você? Saia daqui! Ouviu o que eu disse?".

A mulher teria visto seu filho entre as pessoas envolvidas no confronto pela TV e o localizou. O comissário de polícia local Anthony Batts se referiu à cena durante uma coletiva de imprensa, afirmando que gostaria de "mais pais por aí controlando seus filhos".


Na noite desta segunda-feira, o protesto contra a morte de um jovem que estava sob custódia policial transformou a cidade em palco de destruição e conflito entre manifestantes e policiais.

Um caso semelhante ocorreu em São Paulo em junho do ano passado. Na ocasião, um pai foi buscar o filho no meio da manifestação contra a Copa do Mundo marcada por vandalismos e confronto com a Polícia Militar.

Pai busca filho no meio de protesto em São Paulo

O adolescente foi flagrado sendo arrastado pelo pai no meio dos ativistas, enquanto o jovem, com o rosto tampado com um pano, argumentava que tinha o direito de protestar. Já o pai rebatia que primeiro ele deveria trabalhar e se sustentar.

Em meio à discussão, o pai tirou a camisa do rosto do filho e ao mesmo tempo expressava irritação comentando que ele não deveria esconder o rosto, já que ele não foi criado dessa forma. O jovem exaltado insistia em protestar. Entretanto, o pai conseguiu convencer o rapaz a ir para casa.

Protesto termina com 15 policiais feridos e 202 detenções

Os protestos por conta de morte de um jovem negro que estava sob custódia policial em Baltimore terminaram com 15 policias feridos, 202 manifestantes detidos, além de 144 veículos e 15 edifícios incendiados, informou nesta terça-feira a Prefeitura da cidade. Centenas de membros da Guarda Nacional e policiais dos estados vizinhos foram desdobrados para esta cidade no Leste dos EUA para evitar que se repita uma nova jornada de caos e violência.

Os distúrbios ocorreram pouco depois do enterro de Freddie Gray, um jovem negro de 25 anos que faleceu em 19 de abril, quando estava sob custódia policial, por uma lesão na medula espinhal, em circunstâncias ainda sob investigação.

Nesta segunda-feira tinham sido suspensos os protestos pacíficos que ocorreram após a morte para a realização do funeral, mas a violência explodiu no final da tarde e desencadeou um caos que obrigou a decretar situação de emergência no estado e toque de recolher em uma cidade onde mais da metade da população é negra.

O delegado da polícia de Baltimore, Anthony Batts, atribuiu os distúrbios a "estudantes do ensino médio", que assaltaram negócios, provocaram incêndios e feriram 15 policiais, seis deles em estado grave. O governador de Maryland, Larry Hogan, visitou nesta terça-feira os agentes feridos e os bairros afetados pelos distúrbios, e quis deixar claro que a cidade está sob controle e que a violência "não voltará a se repetir". Para isso, o toque de recolher decretado na segunda-feira na cidade será mantido durante toda a semana entre as 22h e as 5h (local).

Os parentes do jovem falecido, líderes religiosos e comunitários, e as autoridades pediram que seja mantido o caráter pacífico dos protestos.

Com informações do iG e da EFE

Você pode gostar