Por bferreira

França - O copiloto que jogou um avião contra montanhas na França, dia 24 de março — matando 150 pessoas, incluindo ele próprio —, ‘ensaiou’ manobras parecidas em outro voo, no mesmo dia, horas antes. A informação é do Escritório francês de Investigações e Análises para a Segurança da Aviação Civil. A aeronave que Andreas Lubitz derrubou de propósito fazia o trajeto de Barcelona (Espanha) a Dusseldorf (Alemanha). O ‘treino’ para a derrubada ocorreu no voo de ida, da cidade alemã para a espanhola.

Neste primeiro trecho, Lubitz também havia ficado sozinho na cabine por alguns minutos, e manipulado até cinco vezes o piloto automático para programar a descidas. Estas manobras de redução de altitude, que duraram alguns minutos, foram “tecnicamente injustificáveis”, segundo a investigação. O chefe do inquérito, Rémi Jouty, disse que o copiloto fez manobras de descida do avião até 100 pés (pouco mais de 30 metros) sobre o nível do mar.

As caixas- pretas do Airbus que caiu já tinham mostrado que o então funcionário da Germanwings, de 27 anos, se aproveitou de breve ausência do piloto para se trancar na cabine. Ele teria colocado laxante no café do comandante para que este precisasse ir ao banheiro. Lubitz sofria de transtornos psiquiátricos. Ele costumava pesquisar na internet sobre métodos de suicídio e funcionamento de portas de cabine, afirmou a promotoria.

Você pode gostar