OMS declara Libéria livre do ebola

Até o momento, 26.298 pessoas contraíram o ebola, das quais 10.892 morreram

Por O Dia

Genebra (Suíça) - A Libéria foi declarada neste sábado livre do vírus ebola pela Organização Mundial da Saúde (OMS), ao completar 42 dias desde que a última pessoa infectada morreu e novos casos não tenham sido detectados.

"A OMS declara à Libéria país livre da transmissão do vírus do ebola. Transcorreram 42 dias desde que o último caso confirmado em laboratório foi enterrado em 28 de março. O surto na Libéria acabou", diz a instituição em comunicado.

O vírus contaminou no país 10.322 cidadãos, sendo que 4.608 morreram, o transformando na nação com mais vítimas da epidemia. O último caso foi o de uma mulher dos arredores de Monróvia que desenvolveu os sintomas em 20 de março e morreu no dia 27. A fonte de seu contágio ainda é desconhecida.

OMS declarou a Libéria livre do EbolaDivulgação

As 332 pessoas que estiveram em contato com ela e que podiam ter se infectado foram identificadas e acompanhadas durante 21 dias - período de incubação do vírus - e nenhuma desenvolveu os sintomas. Durante as semanas seguintes, a vigilância epidemiológica continuou, mas nenhum novo caso foi registrado nos últimos 42 dias - o dobro do período de incubação - por isso o país pôde ser declarado livre da doença.

"Fazemos uma homenagem ao governo e ao povo da Libéria que com sua determinação venceram ao ebola. Os médicos e enfermeiros nunca deixaram de tratar os pacientes, inclusive nas ocasiões nas quais o material de proteção não foi o adequado", afirma o comunicado.

No total, 375 profissionais médicos da Libéria se infectaram e 189 morreram ao tratar de pacientes sem o suficiente uso de medidas de proteção.

Vilarejo atingido pelo ebola%2C na Guiné Reuters

"Enquanto a OMS tem a certeza de que Libéria interrompeu a transmissão, a epidemia persiste na Guiné e em Serra Leoa e existe um grande risco de que pessoas infectadas nesses países entrarem na Libéria através das porosas fronteiras", alerta a OMS.

No entanto, a instituição se mostra convencida de que o governo liberiano é muito consciente dessa situação e tem a capacidade, a experiência e o apoio internacional para evitar o contágio. A OMS informou que manterá sua equipe de controle e apoio até o final do ano para acompanhar as tarefas de vigilância e ajudar no processo de recuperação dos serviços de saúde.

A doença surgiu em dezembro de 2013 em uma região de floresta da Guiné, fronteira com a Libéria e Serra Leoa, e se espalhou rapidamente entre os três países. Até o momento, 26.298 pessoas contraíram o ebola, das quais 10.892 morreram.


Últimas de _legado_Mundo e Ciência