Primeiro-ministro pede 'coragem e paciência' após terremoto no Nepal

Mais de 60 pessoas morreram em decorrência do novo tremor de terra no país asiático

Por O Dia

Nepal - Longe de se recuperar do terremoto que, 18 dias atrás, matou 8.046 pessoas e feriu 17,8 mil, o Nepal sofreu nesta terça-feira novo tremor de terra, de 7,3 graus. Até a noite, tinham sido contabilizadas 68 pessoas mortas e mais de 1,1 mil feridas. Entre as vítimas fatais, 17 foram na Índia e uma no Tibete, países vizinhos.

Muitas construções que haviam sido abaladas no primeiro tremor de terra ruíram de vez. Como equipes de resgate já estavam lá%2C socorro a sobreviventes foi mais rápidoEfe

Com equipes de resgate de Estados Unidos, Índia e China ainda no país, os trabalhos de resgate e atendimento aos feridos começaram imediatamente, ao contrário do que ocorreu no desastre anterior. Feridos foram rapidamente levados de distritos mais distantes à capital, Katmandu. “Uma hora de desastre natural como esta, temos que enfrentá-la com coragem e paciência”, pediu o primeiro-ministro do Nepal, Sushil Koirala, reconhecendo que seu governo está sobrecarregado.

Dolakha e Sindhupalchowk, localidades devastadas no tremor do dia 25, foram novamente afetadas. Vários prédios desabaram, soterrando seus ocupantes, segundo a Organização Internacional para a Migração.

Os nepaleses temiam que um novo e forte terremoto atingisse a região e que os edifícios que restaram, muitos deles danificados, não resistissem. Ainda assim, muita gente voltou para casa por não suportar os acampamentos ou por achar que o perigo maior havia passado.

O aeroporto internacional de Katmandu foi novamente fechado. Durante todo o dia de ontem, pelo menos seis novas réplicas de magnitude 5 foram registradas na primeira hora após o terremoto. O epicentro do tremor fica perto do acampamento base do Everest, esvaziado depois de avalanche desencadeada pela tragédia do mês passado, que matou 18 alpinistas.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência