Por clarissa.sardenberg

Haiti - Um relatório interno da Organização das Nações Unidas (ONU) mostrou que os agentes que participam da missão de paz da entidade no Haiti cometeram uma série de crimes sexuais no país, revelou a agência de notícias AP nesta quarta-feira.

De acordo com o documento, os "capacetes azuis" praticaram sexo sob pagamento com 225 mulheres - muitas delas menores de idade - para que elas recebessem alimentos e medicamentos. Ao todo, os pesquisadores entrevistaram 231 pessoas que tiveram relações sexuais com agentes da ONU.

Em 2010, terremoto deixou milhares de mortos e feridos. Até hoje o país tenta se recuperarErnesto Carriço / Agência O Dia

Além de se aproveitar da situação de extrema pobreza da nação - devastada por um terremoto em 2010 -, os agentes do órgão "pagavam" as relações sexuais com celulares, notebooks e perfumes.

Atualmente, a ONU tem mais de 125 mil pessoas que trabalham em suas ações humanitárias por todo o mundo e o relatório tinha como ponto de partida como esses agentes, que trabalham em algumas das áreas mais problemáticas do mundo, geriam os persistentes problemas de abuso sexual.

Você pode gostar