Por clarissa.sardenberg

Síria - Três irmãs muçulmanas britânicas que fugiram com seus nove filhos para se aliarem ao grupo extremista Estado Islâmico (EI, ex-Isis) entraram no território da Síria, informou a imprensa internacional nesta sexta-feira. As mulheres, originárias de Bradford, na Inglaterra, viajaram com nove crianças com idade entre três e 15 anos. A família teria se dividido em dois grupos para atravessar a fronteira.

Mulheres vêm sendo feitas escravas sexuais pelo Estado Islâmico Reuters

Khadija, Sugra e Zohra foram dadas como desaparecidas no Reino Unido. As mulheres voaram em 9 de junho da Arábia Saudita, onde tinham declarado que fariam peregrinação, para Istambul. Elas deveriam ter retornado à Inglaterra em 11 de junho, mas cruzaram a fronteira com a Síria.

De acordo com uma fonte ligada ao EI, Zohra teria contatado seus parentes nesta semana para dizer que estava na Síria, mas sem dar a localização exata. O EI, que atua principalmente no norte da Síria e do Iraque - onde estabeleceu um califado sunita - atrai centenas de europeus. Um dos principais executores do grupo extremista é originário de Londres.

Você pode gostar