Autor de massacre nos Estados Unidos tinha blog racista

Assassino diz que Brasil também é país inimigo por ser hispânico

Por O Dia

EUA - A polícia americana descobriu ontem um blog em que Dylann Storm Roof, autor do massacre de nove jovens negros numa igreja em Charleston, na Carolina do Sul, faz elogios à supremacia branca. Na página, com 34 fotos do assassino em situações de racismo, podem ser encontrados textos anunciando que “alguém tinha que fazer alguma coisa” para conter os negros na região, já que não havia mais a Klu Klux Klan (organização racista). Até o Brasil, considerado por ele um país hispânico, é “país inimigo.”

Multidões se reúnem para homenagear vítimas de massacre em igreja dos EUAEFE

“Escolhi Charleston porque é a cidade mais histórica do meu Estado e já teve a maior proporção de negros no país”, diz o texto atribuído ao jovem, que na noite de quarta-feira entrou numa igreja da cidade, matou nove negros que participavam de um grupo de estudo da Bíblia, e foi preso. “Não temos ninguém fazendo nada, a não ser falar na internet. Alguém tinha que ter a bravura de fazer algo.” Policiais confirmaram que as ideias expostas no site se relacionam com o que Dylann falava a amigos próximos.

O blog tem ainda dezenas de fotos do assassino, entre elas uma em que ele posa ao lado de escravos de cera numa fazenda do Sul dos Estados Unidos. Em outra, Dylann posa com uma bandeira dos estados Confederados, que defendiam a escravidão e perderam a guerra civil americana no século 19.

Segundo o FBI, o blog foi registrado na Rússia, com um nome de fantasia — thelastrhodesian, que significa o último rodésio, país do Sul da África que praticava a segregação racial e o racismo.

A prática é considerada comum por quem quer criar um blog e esconder sua origem. Hackers foram os responsáveis por chegar à conclusão de que o site estava registrado em nome de Dylann.

O Brasil também é citado como um dos países inimigos do jovem. Em seu manifesto, ele afirma que “negros têm QI inferior” e que há hispânicos bons e ruins. “Os programas e as propagandas nas TVs hispânicas têm até mais brancos que os nossos. Eles respeitam a beleza branca. A elite deles é branca”, disse, para completar: “Tem bom sangue branco que vale a pena ser poupado no Uruguai, Argentina, Chile e até mesmo no Brasil. Ainda assim, eles são nossos inimigos.”

Emoção na última homenagem

A igreja metodista Emanuel, na calorenta e turística Charleston, foi palco ontem de diversas manifestações de solidariedade aos familiares dos mortos na chacina. Centenas de pessoas depositaram coroas de flores na porta da igreja, enquanto outros ajoelhavam e rezavam em memória das vítimas. A emoção dominou os presentes. Hoje, as igrejas soarão os sinos às 10h.

Segundo maior destino de festas de casamento no país, conforme a prefeitura local, a cidade, no entanto, manteve as celebrações em hotéis no centro histórico, o que gerou críticas.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência