Líder de grupo racista citado por atirador doou dinheiro para políticos

Autor do massacre que deixou nove mortos em Charleston mencionou 'cidadãos conservadores' em depoimento

Por O Dia

Estados Unidos - O líder do Conselho de Cidadãos Conservadores, grupo de supremacia branca citado por Dylann Roof, autor confesso do massacre de nove fiéis negros na Carolina do Sul semana passada, doou dinheiro para três pré-candidatos republicanos, publicou nesta segunda-feira a imprensa local.

Earl Holt, presidente do Conselho de Cidadãos Conservadores (Council of Conservative Citizens), doou durante anos milhares de dólares aos senadores Ted Cruz, Rand Paul e ao ex-senador Rick Santorum, todos pré-candidatos à disputa pela presidência pelo Partido Republicano.

Segundo dados da Comissão Federal Eleitoral dos Estados Unidos (FEC), desde 2012 Holt doou US$ 8.500 ao Comitê de Ação Política (PAC, grupo independente de apoio a um candidato) de Ted Cruz. Além disso, Holt, cujas alegações racistas parecem ter inspirado o manifesto de Roof, contribuiu com US$ 1.750 ao PAC de Paul; com US$ 1.500 à campanha de Santorum; e com US$ 2 mil à campanha presidencial de Mitt Romney em 2012.

Dylann Roof matou nove pessoas em igreja histórica em Charleston%2C na Carolina do Sul Reuters


Além disso, suas doações também chegaram a outros políticos republicanos de corte mais conservador. Segundo o jornal "New York Times", a campanha de Cruz confirmou ter recebido dinheiro de Holt e devolverão todas as doações que tenham chegado em seu nome.

Sob um pseudônimo, Holt chegou a escrever que os negros "te matarão, violarão tua família e reduzirão sua casa a cinzas", e afirmar que as pessoas de raça negra são "as mais preguiçosas, tontas e mais inclinadas ao crime de toda a história".

Roof, autor do manifesto racista do site LastRodhesian.com, disse nesse texto ter lido no Conselho de Cidadãos Conservadores sobre "brutais assassinatos de brancos por negros".

Holt emitiu um comunicado em resposta ao manifesto neste domingo, garantindo que não é de se estranhar que Roof tenha sabido desses assassinatos em seu site, mas que os membros de sua organização respeitam a lei e não defendem atos violentos.

"O site do Conselho de Cidadãos Conservadores existe porque a imprensa oculta a raça de criminosos negros. Há alguns anos, em sua convenção nacional, a Sociedade de Jornalistas Profissionais adotou formalmente esta tática como política", explicou o comunicado. Roof, de 21 anos, é acusado de matar a tiros nove fiéis negros em uma igreja de Charleston, na Carolina do Sul, enquanto dizia em voz alta: "Estupram nossas mulheres e querem tomar o país", segundo documentos judiciais.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência