Família com doença rara sofre preconceito

Ainda não existe tratamento para o mal

Por O Dia

México - Há muitas gerações, a família Aceves, da cidade mexicana de Loreto, sofre com o preconceito. Cerca de 30 de seus integrantes são portadores de uma síndrome rara, a hipertricose lanuginosa congênita, mais conhecida como ‘síndrome do homem lobo’. A doença produz um excesso de pelos em todo o corpo, inclusive no rosto. “Dizem que deveríamos viver na floresta, como o que somos: animais. As crianças mal podem sair à rua”, contou Karla Aceves à BBC.

Família é alvo de preconceito por doença genética rara conhecida como 'síndrome do homem lobo'Divulgação/

O mal é genético, mas cientistas ainda não descobriram tratamento eficaz, segundo a documentarista Eva Aridjis, que fez o documentário ‘Chuy, o homem lobo’, para chamar a atenção para o drama da família. Jesús Chuy Fajardo Aceves, pai de Karla, foi o personagem principal do filme.

Os portadores da síndrome contam ter muita dificuldade de arranjar emprego. Além disso, as crianças não são bem aceitas nas escolas. A alternativa que alguns encontram, como Chuy, é ir para circos no México e em outros lugares do mundo servir como ‘atração’.

“Com o documentário, espero ajudar as pessoas a terem consciência desse problema. E também espero que ajude a trazer mais oportunidades para elas. Que consigam trabalho, que as crianças consigam bolsas de estudo”, disse Eva à BBC.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência