Prédio da Marinha em Washington é fechado após denúncia de tiroteio

Polícia não encontrou suposto criminoso e há suspeitas de que caso tenha sido um alarme falso

Por O Dia

Estados Unidos - A polícia norte-americana está em um prédio da Marinha, no sudeste de Washington, após denúncias de que um atirador invadiu o local. O chamado ocorreu por volta das 7h40 desta quinta-feira. A sede da Marinha fica próxima ao Capitólio e o lugar está cercado, com as ruas de acesso bloqueadas.

De acordo com testemunhas, o prédio foi verficado pela polícia, que não encontrou o atirador, segundo a "CBS". Agentes conduzem buscas pelas ruas, checando se o o homem se escondeu em algum carro, por exemplo. Por isso, há suspeitas de que caso tenha sido um alarme falso

"Ouvimos alguém gritar: Saiam do prédio. Fiquem longe da lanchonete", revelou o tenente Scott Williams à "CNN". "Não vi ninguém se machucar. Todos procuraram abrigo nos escritórios ou correram para fora do prédio", disse o tenente.

Polícia fez buscas por atirador em ruas de acesso ao prédio da MarinhaReuters

"Fiquei preocupado pois estava aqui no tiroteio de 2013", afirmou Williams.

A Marinha dos EUA informou via Twitter que "nenhum incidente pode ser confirmado ainda". O porta-voz da Marinha confirmou a informação e declarou que "a investigação continua".

Em setembro de 2013, o militar Aaron Alexis matou 12 civis que trabalhavam nesse mesmo prédio, antes de ser morto pela polícia.

Ruas de Washington foram bloqueadas nas proximidades do prédio da Marinha invadido por atirador Reprodução Twitter


Últimas de _legado_Mundo e Ciência