Por felipe.martins

Rio - Da famosa toalha molhada em cima da cama à omissão na educação dos filhos, não faltam motivos para ‘combates’ entre marido e mulher. Mas o diálogo, hábito simples e cotidiano, pode evitar as discussões e até o fim do relacionamento. A recomendação tem o aval de profissionais, que garantem que casais que conversam brigam menos e são mais felizes.

Flavia Nunes, psicoterapeuta e gestora do Espaço Humanize, na Bahia, explica que o bate-papo ajuda o casal a estabelecer acordos sobre os assuntos da vida a dois, que, para ela, devem incluir “de finanças a sexo”. Ela explica que a prática evita frustrações por conta de expectativas não atendidas. “Muitas vezes, a pessoa espera que o parceiro faça algo que não foi comunicado anteriormente e age como se ele tivesse que saber. Isso gera frustração, mas ocorre porque não houve acordo antes”.

Para Carla Ribeiro, psicóloga clínica e hospitalar voltada para saúde do homem, saber interpretar corretamente o que seu parceiro quer dizer também pode impedir brigas. Para evitar opiniões precipitadas, ela lembra que é preciso ser paciente e ter disposição para ouvir. “Quem não escuta, não compreende e arranja problemas por pouca coisa”.

Os dois precisam aprender a ceder e a fazer concessõesArte O Dia

Mas um ponto precisa ficar claro: conversa e ‘DR’ ('discutir relação') não são o mesmo. Flavia lembra que deve haver escuta, e que ambos precisam ter espaço para colocar os próprios pontos de vista, sem fazer cobranças. E é esse clima de exigências que muitas vezes faz os homens fugirem das conversas, conta a especialista.

“Eles veem a ‘DR’ como algo negativo, porque ninguém gosta de ser cobrado. E algumas mulheres não sabem conversar. O que para elas é diálogo, na verdade é uma lista de cobranças”, aponta.
Por outro lado, segundo Carla, os homens costumam ir direto ao assunto, sendo, por vezes, grosseiros. "É muito comum que casais tenham problemas comunicacionais entre si, e que, ao longo dos anos, essa comunicação fique cada vez mais estreita", afirma.

A psicóloga Monica Portella concorda que a conversa ajuda a esclarecer pontos importantes do relacionamento e acrescenta que a prática também aproxima o casal. Segundo ela, é importante dedicar tempo para saber como foi o dia do parceiro e que atividades ele fez. “Há pesquisas científicas que mostram que isso aproxima os dois”.

Monica alerta que mensagens trocadas por Whatsapp ou outro aplicativo não podem substituir a conversa ‘olho no olho’. Ela explica que o ser humano é social e precisa do contato físico na hora da comunicação. “Mil mensagens não substituem dez minutos de conversa ao vivo, com carinho e atenção ininterrupta”.

DICAS PARA A HORA DA CONVERSA

1- Escolha um local apropriado para a conversa e que não tenha pessoas em volta

2- Ouça o parceiro até o fim e evite
interpretações antecipadas

3- Não comece a conversa
com cobranças e acusações

4- Não inclua outros membros
da família na conversa

5- Os dois precisam aprender
a ceder e a fazer concessões

6- Não fale em momento de grande emoção. Espere estar mais relaxado

Você pode gostar