Multidão entusiasmada recebe Papa no Equador

Cerca de 600 mil assistem a missa em que Francisco defendeu ajuda a pobres

Por O Dia

Equador - Uma multidão estimada em 600 mil pessoas enfrentou ontem sol forte e muito calor, com temperatura acima de 30 graus e muita umidade, em Guayaquil, no Equador, para assistir a missa celebrada pelo Papa Francisco, que faz uma viagem por países da América do Sul. Na homilia, ele cobrou dos governos que paguem a dívida social com os pobres.

Bem-humorado, Francisco foi saudado por milhares de pessoas no trajeto até o santuário de SamanesEfe

Numa referência aos programas governamentais de apoio a pessoas carentes, disse que ajuda aos pobres não deve se vista como esmola, mas como pagamento da dívida social com as famílias, que, segundo ele, fornecem o bem comum a todos.

Segundo Francisco, a família representa “a grande riqueza” do homem, que nenhuma outra instituição pode substituir. “A família deve ser ajudada e potencializada para não perder nunca o sentido dos serviços que a sociedade presta aos cidadãos”, afirmou.

Por causa do grande calor, bombeiros jogaram água sobre a multidão que ouvia Francisco no santuário de Samanes. Bem-humorado, o Papa brincou com os fiéis e foi aplaudido com entusiasmo pela multidão.

A chegada de Francisco mudou a rotina da cidade de Guayaquil. Desde cedo, milhares de pessoas ocuparam as ruas por onde ele passaria, no trajeto do aeroporto até o santuário.

No percurso, saudado com bandeiras do Equador e imagens de santos católicos, Francisco, que viajava com a janela do papa-móvel aberta, fez várias paradas para tirar fotos com fiéis. Sorridente, ele cumprimentou as pessoas, posou ao lado delas e teve a mão beijada pelos admiradores.

Depois da missa em Samanes, Francisco almoçou com outros religiosos em um colégio de jesuítas. À noite, viajou para a capital do Equador, Quito, onde hoje fará outra missa campal. O Papa seguirá depois para a Bolívia e para o Paraguai.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência