Malásia confirma que destroço pertence a Boeing 777

Pedaço de asa será examinado na França na próxima semana

Por O Dia

Kuala Lumpur - O governo da Malásia anunciou nesta sexta-feira que o pedaço de asa encontrado na costa da ilha francesa de La Réunion, no oceano Índico, pertence a um Boeing 777, o mesmo modelo do avião da Malaysia Airlines que está desaparecido desde 8 de março de 2014.

A confirmação foi possível graças a um código inscrito no destroço, que será examinado a partir da próxima quarta-feira nos arredores de Toulouse, na França, que abriga o principal polo aeroespacial da Europa.

O artefato chegará a Paris na manhã deste sábado, assim como os restos de uma bagagem achados perto da asa, que serão examinados no Instituto de Pesquisas Criminais da Gendarmaria Nacional (Ircgn), em Pontoise, nos subúrbios da capital.

Contudo apesar de ainda faltar uma confirmação oficial, são cada vez mais fortes os indícios de que o destroço pertence ao avião que fazia o voo MH370. Nesta sexta-feira, duas garrafas encontradas em uma praia de La Réunion aumentaram as suspeitas de que trata-se mesmo de um pedaço do Boeing da Malaysia Airlines.

Em uma delas, um frasco de detergente, é possível ler "Jacarta, Indonésia", enquanto a outra, uma garrafa de água mineral, traz ideogramas chineses. O MH370 sumiu com 239 pessoas a bordo enquanto ia de Kuala Lumpur, na Malásia, a Pequim, na China. Em janeiro deste ano, o seu sumiço foi declarado oficialmente um acidente pelo governo malaio. Os investigadores acreditam que ele tenha caído no sul do oceano Índico, mas até hoje não foi descoberta nenhuma pista que ajudasse a solucionar o maior mistério da história da aviação civil.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência