Criança-soldado do Estado Islâmico mata espião com tiro na cabeça

Violência praticada por crianças para o grupo têm se tornado cada vez mais comum na Síria e no Iraque; em julho, menino apareceu em vídeo decapitando um soldado do exército sírio

Por O Dia

Iraque - Parece que o Estado Islâmico realmente percebeu o quão chocantes para o mundo são as imagens em que crianças aparecem praticando violentos assassinatos. E, como o medo é uma das principais armas dos terroristas, o grupo tem se dedicado cada vez mais a fazê-las praticar crimes do tipo.

Imagem mostra criança mirando cabeça de suposto soldado pouco antes atirar em sua cabeçaReprodução

Novas imagens divulgadas nesta segunda-feira mostram uma criança com não mais do que 12 anos de idade, toda trajada com roupas militares, mirando a cabeça de um suposto espião sírio, inteiramente vestido de laranja (uniforme tradicional dos prisioneiros do Estado Islâmico), e assassinando-o friamente.

O uso de crianças pelo grupo para praticar violência se banalizou de tal forma que os terroristas que reivinicam a fundação de um Estado em ampla área dos territórios iraquiano e sírio até criaram um nome para identificá-las: "crianças do califado".

No último dia 16 de julho, um outro vídeo, ainda mais chocante, foi divulgado pelo grupo mostrando uma criança decapitando de forma fria um capitão do exército sírio, em assassinato cometido na província de Homs, na região central da Síria.

Em outro vídeo, divulgado em janeiro, um pequeno garoto aparece ao lado de um rebelde do grupo antes de atirar na cabeça de um refém.

Além de usadas como soldados, as crianças também são vítimas diretas dos crimes do EI, assassinadas brutalmente nas regiões dominada pelos grupo. Não se sabe ainda em qual área o assassinato divulgado nesta quarta-feira foi cometido.

Relatório da Organização das Nações Unidas de fevereiro já afirmava que o grupo decapita e queima crianças vivas. No mês passado, o chefe do comitê de segurança da província iraquiana de Diyala, Sadiq al-Husseini, afirmou que integrantes da organização explodiram um bebê à distância durante um treinamento.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência