Familiares de passageiros do MH370 dizem que vão à ilha de Reunião

Autoridades francesas intensificam operação para encontrar mais destroços de Boeing 777

Por O Dia

China - Familiares enfurecidos de passageiros do voo MH370 protestam nesta sexta-feira em Beijing, na China, enquanto autoridades francesas intensificam operação para encontrar destroços de Boeing 777 na ilha de Reunião, no Oceano Índico. Os parentes dos passageiros a bordo do avião da Malaysia Airlines dizem ter a intenção de viajar para a ilha de Reunião, onde foi encontrada parte da asa de um avião, que provavelmente seria do desaparecido há mais de um ano.

Cerca de 50 pessoas tentaram entrar na embaixada da Malásia em Beijing, mas foram impedidas pela polícia. Os parentes de passageiros sumidos, desde março de 2014, cobram respostas claras da Malaysia Airlines e acusam a companhia de reter informações. 

Homem é contido pela polícia ao tentar invadir embaixada malaia durante protesto por vítimas do MH370Reuters

"Malásia, encontre os passageiros", gritou uma das pessoas. "A Malásia esconde a verdade e atrasa as buscas", dizia o cartaz carregado por um homem.

Alguns apontaram as diferenças entre informações divulgadas pela Malásia e as autoridades francesas, que auxiliam nas buscas,outros destacam que as autoridades malaias não se pronunciam a respeito do caso.

"Eles estão ansiosos e procurando por respostas", limitou-se a dizer o ministro malaio dos Transportes, Liow Tiong.

A descoberta da asa do avião foi a primeira pista palpável durante meses de investigação. Segundo autoridades, correntes marítimas que correspondem à rota do MH370 podem ter levado destroços para o local.

*Com informações da Reuters 

Últimas de _legado_Mundo e Ciência