Por thiago.antunes

Cabul - Uma onda de ataques contra o exército afegão, a polícia e forças especiais dos Estados Unidos em Cabul na sexta-feira matou pelo menos 50 pessoas e deixou centenas de feridos, obscurecendo a esperança de que o Taliban possa ser enfraquecido por uma disputa de liderança depois da morte de seu líder de longa data.

O derramamento de sangue começou com um caminhão-bomba que explodiu em um bairro densamente povoado da capital e terminou com uma batalha com horas de duração em uma base usada por forças especiais dos EUA. O dia se tornou o mais mortal em Cabul em anos.

Os insurgentes islâmicos radicais assumiram a responsabilidade tanto pelo ataque contra a academia de polícia quanto pela batalha na base de forças especiais dos EUA, embora não pelo caminhão-bomba.

A escala da violência acentuou os obstáculos para que o estagnado processo de paz seja revivido e transmitiu uma mensagem de não-comprometimento do Taliban. Isso ocorre em um momento delicado que se segue à revelação na última semana da morte de Mullah Mohammad Omar, em meio a uma disputa pela liderança da insurgência islâmica radical.

"A questão é, quem está enviando a mensagem?", disse Thomas Ruttig, da Rede de Analistas do Afeganistão. Uma alta do número de vítimas dos ataques de sexta-feira era esperada, conforme detalhes continuam a ser dados por autoridades.

Você pode gostar