Candidato de oposição a Kirchner denuncia sumiço de cédulas em votação

Votação ocorreu durante o fim de semana para definir quais serão os candidatos a Presidência, governos estaduais, Senado, Parlamento e representação no Mercosul

Por O Dia

Buenos Aires - Candidato de oposição à Presidência da Argentina, Mauricio Macri denunciou neste domingo o roubo de cédulas nas Primárias, votação que aconteceu durante o fim de semana para definir quais serão os candidatos definitivos a Presidência, governos estaduais, Senado, Parlamento e representação no Mercosul.

Com o filho e a cunhada concorrendo a cargos públicos%2C Cristina Kirchner diz que não vota em parentesReuters

“Já conseguiram roubar cédulas em algumas escolas e estão tentando também roubá-las em cada lugar onde acontece a votação”, disse Macri à Rádio Mitre.

No meio da polêmica, a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, elogiou o trabalho de seu filho e candidato a deputado pela Frente para a Vitória (FPV), Máximo Kirchner, à frente do grupo juvenil La Cámpora, mas destacou que não vota em parentes.

“Eu não voto em parentes. Voto em militantes e dirigentes”, respondeu Cristina, ao ser perguntada pela imprensa sobre a candidatura de seu filho.

Cristina Kirchner votou nas eleições primárias na cidade de Río Gallegos, capital da província de Santa Cruz, no sul da Argentina, onde está seu domicílio eleitoral.

Também será candidata nas próximas eleições Alicia Kirchner, tia de Máximo e cunhada da presidente argentina, grande aposta da Frente para a Vitória na disputa pelo governo da província de Santa Cruz.

Na reta final de seu segundo mandato, Cristina voltou a criticar a “campanha suja” contra seu chefe de gabinete e candidato ao governo da província de Buenos Aires, Aníbal Fernandéz, e defendeu que esse tipo de prática seja interrompida.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência