Manifestante ateia fogo ao próprio corpo em protesto contra o Japão

Ativistas e vítimas exigem pedido de desculpa por prostituição em bordéis, quando mulheres e crianças serviam de 'conforto'

Por O Dia

Manifestante ateou fogo ao próprio corpo Reuters

Coreia do Sul - Um homem de 80 anos ateou fogo no próprio corpo nesta quarta-feira, em Seul, na Coreia do Sul, durante um protesto que exige que o Japão se desculpe por forçar meninas e mulheres a se prostituirem em bordéis militares durante a Segunda Guerra Mundial.

O episódio aconteceu em frente à embaixada japonesa no país e ocorre pouco antes do aniversário de 70 anos do fim da ocupação japonesa no país.

Com a proximidade da data chegando, em 15 de agosto, o protesto ganhou proporções maiores e reuniu cerca de 2 mil pessoas.

Entre elas, estiveram 47 sobreviventes coreanas, que eram chamadas pelos japoneses na época como "mulheres para confortar".

O homem, identificado como Choi Hyun-yeol,foi hospitalizado e encontra-se em estado crítico. Ele faz parte de um grupo que luta por direitos humanos.

"O paciente é idoso e tem queimaduras severas então sua sobrevivência não pode ser assegurada", declarou à imprensa um professor parte do mesmo grupo de ativistas que o homem.

Homem de 80 anos ateou fogo ao próprio corpo em protesto que exige que Japão se desculpe por prostituição forçada Reuters


Últimas de _legado_Mundo e Ciência