'Trabalho não pode ser refém do lucro', afirma Papa Francisco

Pontífice disse que a 'moderna organização do trabalho' tende a considerar a família como um impedimento à produtividade

Por O Dia

Vaticano - O papa Francisco afirmou nesta quarta-feira, durante sua audiência geral, que quem causa o desemprego provoca um grande dano social e que a "gestão da ocupação" não pode ser deixada para um "mercado divinizado".

O Pontífice dedicou todo o seu pronunciamento ao tema do trabalho, lembrando que o emprego das pessoas não deve ser "refém do lucro". "Quando o trabalho se afasta da aliança de Deus com o homem e a mulher, quando vira refém da lógica do lucro, a consequência é uma degradação da alma que contamina tudo, atingindo, sobretudo, os mais pobres", disse.

Papa Francisco disse que o trabalho não pode ser refém do lucroReuters

Para Jorge Bergoglio, a administração da ocupação é uma grande responsabilidade humana e social, e por isso precisa ser dividida entre todos. "Ela não pode ser deixada nas mãos de poucos ou descarregada sobre um mercado divinizado", declarou Francisco.

Ele ainda ressaltou que "a moderna organização do trabalho" possui uma perigosa tendência a considerar a família como um peso, um "estorvo" para a produtividade. "Mas qual produtividade, e para quem?", questionou-se o Papa.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência