Turquia anuncia mais ataques ao Estado Islâmico

Radicais destroem patrimônio mundial

Por O Dia

Templo de Baal Shamin foi erguido há quase 2 mil anosReuters

Istambul - Um dia depois de o Estado Islâmico ter destruído mais um patrimônio da humanidade, a Turquia anunciou que vai realizar, em conjunto com os Estados Unidos, ataques para expulsar o grupo da Síria. Membros da organização explodiram o tempo de Baal, em Palmira. As ruínas da cidade, que fez parte do Império Romano, foram declaradas Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Chefe da Direção-Geral de Antiguidades e Museus da Síria, Maamun Abdulkarim afirmou que a operação foi realiza no domingo. Mas o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, que monitora o país a partir da Inglaterra, disse que a destruição ocorreu há um mês.

Na semana passada, o grupo decapitou o arqueólogo-chefe da cidade, Khaled Asaad. E, em junho, destruiu duas mesquitas no local, consideradas pagãs. Enquanto isso, o ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, revelou ontem a Reuters que o país concluiu no domingo negociações com Washington para expulsar o Estado Islâmico de uma região de 80 quilômetros de extensão, que fica na fronteira com a Turquia. O objetivo é impedir que o grupo passe pela fronteira com combatentes estrangeiros e suprimentos.
Aviões americanos já iniciaram os bombardeios, a partir de bases turcas.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência