Estado Islâmico destrói templo

O tamanho do estrago no Templo de Bel ainda não é conhecido, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos

Por O Dia

Síria - O grupo radical Estado Islâmico (EI) destruiu parcialmente o Templo de Bel, símbolo religioso localizado no sítio arqueológico de Palmira, na Síria, afirmou ontem um grupo de monitoramento do conflito. Ativistas nas mídias sociais também mencionaram a destruição do templo, um dos mais importantes da histórica cidade.

O tamanho do estrago no Templo de Bel ainda não é conhecido, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Este foi segundo templo antigo atacado pelo Estado Islâmico em Palmira neste mês. Antes, o grupo havia detonado explosivos em Baalshamin, no dia 25 de agosto, em ato que a Unesco classificou como crime de guerra motivado para aniquilar a herança de diversidade cultural síria. Na oportunidade, o EI chegou a divulgar fotos do ataque em sua conta em uma rede social.

O Estado Islâmico tomou Palmira das forças do governo sírio em maio, em uma rápida ofensiva, e agora controla rigidamente a comunicação na cidade, segundo ativistas. Além de praticar assassinatos em massa, o grupo radical, que proclamou um califado no território que mantém entre a Síria e o Iraque, tem constantemente demolido monumentos que considera sacrílegos.

Ainda ontem, uma fonte de segurança do Iraque confirmou à agência Efe que o Estado Islâmico sequestrou 200 cidadãos iraquianos que manifestavam contra o assassinato de um morador da região de Rutba, na província de Al Anbar, no oeste do país.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência