Por clarissa.sardenberg

Turquia - Um tribunal de Diyarbakir, no sudeste da Turquia, decretou a prisão preventiva de dois jornalistas britânicos e de seu tradutor iraquiano, informou nesta terça-feira o jornal turco "Hürriyet". Os repórteres, Jake Hanrahan e Philip Pendlebury, e o tradutor iraquiano cobriam o conflito curdo no sudeste da Turquia para a "Vice News", um meio de comunicação americano, e foram detidos na quinta-feira na província de Diyarbakir junto com seu motorista.

A procuradoria turca acusa os dois jornalistas e seu tradutor de "trabalharem a favor de uma organização terrorista", embora no documento a acusação não esclareça qual seria essa atividade. O tribunal decretou a prisão preventiva dos três acusados e a libertação de seu motorista, um cidadão turco.

Jake Hanrahan cobria o conflito curdo na Turquia para a revista norte-americana 'Vice News' e acabou preso Reprodução Twitter

A "Vice", em seu site, condenou firmemente a decisão, e "a intenção do governo turco de silenciar nossos repórteres que cobriam as questões mais importantes da região", afirmou Kevin Sutcliffe, diretor de programação de notícias da publicação na Europa.

O PEN Clube International, organização de escritores e comunicadores que promove a liberdade de expressão, emitiu um comunicado em que pede a libertação imediata dos repórteres e classifica sua detenção de "assédio inaceitável, parte de uma tendência crescente na Turquia de coagir jornalistas que investigam alguns dos temas mais importantes e delicados do país".

A nota acusa diretamente o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, de "tentar suprimir toda cobertura crítica, mas especialmente a referente ao conflito nas regiões majoritariamente curdas do sudeste".

Você pode gostar