Por gabriela.mattos

Estados Unidos - Após sua fracassada tentativa de evitar a execução de Kelly Renee Gissendaner, o Papa Francisco voltou a fazer um apelo pela vida de um condenado à morte nos Estados Unidos. Por meio do núncio apostólico no país, Carlo Maria Viganò, o Pontífice enviou uma carta à governadora de Oklahoma, Mary Fallin, pedindo uma mudança na pena de Richard Glossip, que deveria ser executado nesta quarta-feira.

Na correspondência, Jorge Bergoglio diz que a comutação "daria um testemunho mais claro do valor e da dignidade da vida de cada pessoa". Além disso, ele exorta Fallin a considerar as palavras de João Paulo II, segundo quem a pena capital deveria ser usada apenas "em casos de absoluta necessidade, que são muito raros, para não dizer inexistentes".

Papa Francisco tenta evitar nova execução nos Estados UnidosEfe

Glossip foi condenado à morte por seu papel no assassinato do proprietário do motel Oklahoma City, em 1997. Ele se diz inocente e alega que foi vítima de uma armadilha do verdadeiro homicida, que cumpre prisão perpétua e foi crucial para a sentença contra Glossip.

Nesta quarta, a Suprema Corte dos EUA rejeitou todos os recursos contra a execução, mas a governadora de Oklahoma decidiu adiá-la até 6 de novembro por conta de dúvidas sobre o coquetel de substâncias a ser usado na injeção letal.

Nesta terça-feira, o Papa Francisco já havia tentado evitar a morte de Kelly Renee Gissendaner, de 47 anos, condenada no estado da Geórgia pelo homicídio de seu marido, também em 1997. No entanto, o apelo não foi levado em conta, e a criminosa foi morta.

Você pode gostar