Na ONU, primeiro-ministro de Israel critica acordo nuclear com Irã

Netanyahu afirmou que Israel não vai permitir que Irã 'entre para o clube dos que têm armas nucleares'

Por O Dia

Estados Unidos - Na maior parte do discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, o primeiro-ministro de Israel acusou o Irã de ser uma ameaça. Benjamin Netanyahu disse que o acordo nuclear fechado pelos Estados Unidos e outras cinco potências mundiais alimenta as agressões do Irã com bilhões de dólares, ao retirar as sanções impostas ao país.

Netanyahu afirmou que Israel não vai permitir que o Irã “entre para o clube dos que têm armas nucleares”.

O acordo nuclear, fechado em julho, ainda precisa ser aprovado pelo congresso dos Estados Unidos e enfrenta resistência de parlamentares republicanos. O Irã nega ter interesse em construir uma bomba nuclear e afirma que o programa do seu país tem fins pacíficos.

O primeiro-ministro israelense disse também que vai continuar usando a força para rebater ataques da Síria e para evitar que militantes do Hezbollah adquiram armamentos pesados.

Benjamin Netanyahu também respondeu às críticas feitas pelo presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas que, na quarta-feira, acusou Israel de tentar sabotar os esforços dos Estados Unidos para mediar a paz.

Netanyahu garantiu que está preparado para retomar imediatamente as negociações de paz com os palestinos e que segue empenhado em trabalhar pela solução de dois estados para os dois povos. Uma saída que, segundo ele, exige um estado palestino desmilitarizado que reconhece a existência de Israel.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência