Rússia e comunidade internacional trocam acusações sobre bombardeios

Putin lançou operação na Síria em cooperação com Assad. Forças opositoras ao regime dizem que estão sendo atacadas

Por O Dia

Síria - Um dia depois de iniciar bombardeios com autorização do governo de Bashar Al-Assad,na Síria, o governo russo e a comunidade internacional continuam uma ferrenha troca de acusações. A Rússia iniciou os bombardeios nesta quarta-feira informando que os alvos seriam fortalezas do Estado Islâmico, mas nesta quinta reiterou que os alvos são escolhidos em coordenação com as Forças Armadas da Síria.

A afirmação respalda a preocupação da comunidade internacional que diz que o Kremlin bombardeia forças opositoras de Assad e acaba atingindo civis. Já Putin, defende a operação e diz que tem "intenção de lutar exatamente contra as organizações terroristas", dizendo que a Rússia é alvo de ataques midiáticos.

Putin e Obama se reuniram a portas fechadas por 95 minutos em assembleia da ONUEPA

"Outros países estão há mais de um ano atacando território sírio sem autorização do Conselho de Segurança da ONU, afirmou o mandatário russo. 

Nesta quinta-feira, jatos russos lançaram ataques aéreos em um campo operado por um grupo rebelde que recebeu treinamentos militares da CIA no Catar e Arábia Saudita, disse o comandante dos insurgentes. "A Rússia está desafiando todos", disse Haj Ali. Ele afirmou que jatos russos foram identificados por membros do seu grupo que participaram como pilotos da Força Aérea Síria.

Ativistas denunciaram bombardeios russos em área controlada por oposição de Assad na Síria EFE

Segundo Ali, pelo menos um terço do grupo "Exército Sírio Livre" foi relatado como alvo nos ataques aéreos, que a Rússia diz estar atacando o Estado Islâmico.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, qualificou nesta quinta-feira de "ataque informativo" as denúncias e publicações na imprensa ocidental de que os primeiros bombardeios da aviação russa na Síria ontem teriam causado 36 mortos entre a população civil.

"Estamos preparados para esses ataques noticiários. A primeira notícia sobre vítimas entre a população civil apareceu antes de nossos aviões decolarem", disse Putin durante uma reunião do Conselho de Direitos Humanos, adjunto à presidência russa.

O Pentágono lançou nesta quarta uma investigação para apurar os ataques russos na Síria, disse o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest. Em discurso na Assembleia-Geral da ONU, nesta segunda-feira, o presidente dos Estados Unidos Barack Obama chamou líder sírio Bashar Al-Assad de "tirano" e afirmou que não procura uma nova Guerra-Fria com a Rússia.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência