Obama afirma que tiroteios nos EUA se transformaram em 'rotina'

Presidente ressaltou que as orações 'não são suficientes' e é necessário tratar a violência armada o mais rápido possível

Por O Dia

Estados Unidos - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta quinta-feira que os Estados Unidos transformaram "em uma rotina" os massacres por violência armada e advertiu que "nenhum país avançado" assiste regularmente a episódios como o ocorrido hoje no Oregon, no qual morreram pelo menos 13 pessoas.

"De alguma maneira, isto se transformou em uma rotina, as informações são rotineiras, minhas reações aqui neste palanque são uma rotina, assim como as conversas posteriores", disse em uma dura e irônica declaração à imprensa na Casa Branca.

Obama ressaltou que as orações pelas vítimas "não são suficientes" e é necessário abordar o problema o mais rápido possível de um ponto de vista político para acabar com a violência armada no país.

Tiroteio em universidade nos Estados Unidos deixa mortos e feridos

Visivelmente cansado de fazer pronunciamentos do tipo%2C Obama declarou que EUA assistem passivamente aos tiroteios que acontecem no país EFE

"Esta é uma decisão política que estamos tomando. Permitir que isto ocorra a cada poucos meses nos Estados Unidos. Nós coletivamente somos responsáveis perante essas famílias que perdem seus entes queridos por nossa inação", reiterou o presidente, em alguns momentos com visível irritação.

Obama ironizou que haverá quem, após suas declarações, o acuse de "politizar" a tragédia, mas comentou que isso é justamente o que o país necessita e lembrou que para tomar medidas sobre o assunto é necessário o apoio do Congresso.

Por isso, pediu aos americanos que pressionem para conseguir que o Legislativo impulsione políticas efetivas para conter a violência armada, como fizeram outros países como Austrália e Reino Unido, nações que utilizou de exemplo. "Não sabemos ainda porque (o autor do tiroteio) fez isso, mas é justo dizer que qualquer um que faz algo assim tem uma doença mental, sem importar quais são suas motivações", ponderou.

"Não somos o único país no mundo que tem problemas mentais, mas o único país avançado que vê tiroteios como este a cada poucos meses e não tem leis para controlar a posse de armas", acrescentou.

Em um tom muito irônico, o presidente se perguntou se ainda há quem acredite que o problema da violência armada se soluciona com mais armas, quando estatisticamente está provado que nos estados com menor posse há menos vítimas por arma de fogo. O tiroteio desta quinta-feira em uma faculdade comunitária em Roseburg (Oregon) causou a morte de pelo menos 13 pessoas e outras 20 ficaram feridas, segundo as autoridades. Dados da organização "Todas as cidades pelo Controle de Armas" indicam que a tragédia de hoje é o 45º tiroteio massivo nos Estados Unidos em 2015.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência