Rio se veste de rosa para incentivar o diagnóstico do câncer de mama

Doença deve registrar só este ano 57 mil novas vítimas no país

Por O Dia

Rio - Mais frequente entre as brasileiras, o câncer de mama deve registrar só este ano 57 mil novas vítimas no país. Metade dos casos diagnosticados entre as usuárias do SUS já está em estágio avançado, ou seja, já é metastático, o que significa que a doença atingiu outros órgãos do corpo, mais frequentemente os ossos, os pulmões, o fígado ou o cérebro. Apesar dos avanços da medicina, nenhum tratamento novo para esse tipo de câncer é inserido na rede pública há mais de uma década.

Câmara de Vereadores inaugurou ontem iluminação cor-de-rosa. Vários prédios públicos farão o mesmoDivulgação

A oitava edição do Outubro Rosa —campanha mundial de combate ao câncer de mama que já sensibiliza o Brasil e o Rio de Janeiro — tem como tema ‘Para Todas as Marias’, para garantir que as pacientes com metástase tenham acesso a tratamentos mais eficientes pelo SUS.

Encontrada no site www.paratodasasmarias.com.br, a campanha é coordenada pela Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama). “Tratamentos adequados podem prolongar o tempo de vida e garantir maior qualidade de vida para pacientes com câncer de mama metastático. É fundamental que as pacientes usufruam desses avanços da medicina em seu tratamento”, afirma a presidente da Femama, a médica mastologista Maira Caleffi.

Em pesquisa realizada em 2013 em 12 países – incluindo o Brasil – com mais de 1.200 mulheres com câncer de mama avançado, mais de 60% das brasileiras revelaram que a doença interfere em seu trabalho e reduz sua renda. Mais de 80% declararam ter sua qualidade de vida comprometida. “Receber o diagnóstico do câncer de mama é devastador para a mulher, mas na fase metastática o impacto é ainda maior e a urgência por um tratamento eficiente também”, comenta. Em parceria com a Femama, o Instituto Oncoguia e a Roche lançaram ainda a campanha ‘Por Mais Tempo’. Uma petição no site www.pormaistempo.com.br solicita ao Ministério da Saúde a inclusão dos tratamentos mais adequados no SUS.

No interior, mortalidade é mais alta

Anualmente, mais de 12 mil mortes em todo o país são causadas pela doença, segunda maior causa de óbito entre as brasileiras. No Rio, assim como Porto Alegre, Belo Horizonte e Recife, a mortalidade começa a cair. Já no interior, faltam mamógrafos e estrutura. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), dos mais de 8.300 novos casos (15% do total previsto para este ano no país) serão no Rio.

A Sociedade Brasileira de Mastologia chama a atenção para o alto número de mulheres que não fazem o exame de mamografia no Brasil, indicado anualmente a partir dos 40 anos. Na rede pública, 2,5 milhões de mamografias são realizadas em mulheres dos 50 aos 60 anos, uma cobertura de 24,8%, muito abaixo da meta de 70%, recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Cristo vai se colorir de rosa na segunda

Depois da Câmara de Vereadores e do prédio do Ministério Público, que se iluminaram de rosa esta semana em adesão à campanha, é a vez do maior símbolo do Rio. A partir de segunda-feira, o Cristo Redentor receberá iluminação especial para lembrar que, quando diagnosticado no início, as chances de cura do câncer de mama ultrapassam 90%.

A cor oficial do Outubro Rosa também estará presente este mês nos palácios Guanabara e Tiradentes. Entre os dias 5 e 12, também no Monumento a Almirante Barroso na Praça Paris, na Glória; nos Arcos da Lapa; na Igreja da Penha e na Catedral. Nos dias de jogos do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil, o Maracanã também será iluminado.

Outros pontos, como as estações do Teleférico do Alemão e do BRT e o arco da Cidade Nova do Metrô Rio. receberão a iluminação. A partir do dia 16, a Linha 4 do metrô terá vários pontos do ramal iluminados, como a ponte estaiada, no Jardim Oceânico.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência