Promotores belgas dizem que cinco de sete suspeitos foram liberados

Irmão de homem-bomba está entre os nomes. Advogada disse que ele 'não fez mesmas escolhas de vida' que os outros

Por O Dia

Bélgica - Cinco de sete suspeitos detidos na Bélgica durante este fim de semana por ligações com os ataques de Paris foram liberados, informaram autoridades nesta segunda-feira. "Cinco pessoas foram liberadas, os juízes ainda não decidiram a respeito das outras duas", afirmou a porta-voz da procuradoria. Entre os suspeitos liberados está Mohammed Abdeslam, irmão do homem-bomba Ibrahim Abdeslam, que participou do ataque na casa de shows Bataclan. 

Em comunicado, sua advogada, Nathalie Gallant, declarou que ele "não fez as mesmas escolhas de vida" que os irmãos. Mohammed foi liberado sem acusações. 

Novo vídeo do Estado Islâmico ameaça países que bombardearem Síria

Turquia diz que informou França duas vezes sobre homem-bomba

Polícia belga durante caçada em Molenbek%2C subúrbio de BruxelasReuters

Uma operação de busca foi feita na manhã desta segunda-feira em Molenbeek, no subúrbio de Bruxelas, na Bélgica. Autoridades buscavam Salah Abdeslam, o terceiro dos irmãos. A emissora belga "RTL" informou que ele havia sido preso, mas a agência Reuters afirma que outro suspeito foi levado e as buscas continuam.

Últimas informações sobre os atentados 

Um novo vídeo divulgado pelo Estado Islâmico ameaça países que participarem de bombardearem a Síria, informou a agência "Reuters". Segundo a organização, aqueles que fizerem bombardeios aéreos na Síria irão sofrer o mesmo destino da França e faz uma ameça especial a Washington, nos Estados Unidos.

O coletivo hacker Anonymous, por sua vez, declarou estar em guerra com o Estado Islâmico. O grupo declarou nesta segunda-feira que se prepara para lançar uma onda de ciberataques ao Estado Islâmico. Um homem usando a conhecida máscara de Guy Fawkes afirmou que os homens que reivindicaram a autoria dos ataques em Paris são "vermes" e serão caçados. "Eles não podem continuar impunes", diz o homem no vídeo, em francês.

Coletivo de hackers Anonymous entrou em guerra contra o Estado Islâmico Reprodução Internet

Nesta segunda-feira, a Turquia informou que já havia notificado a França duas vezes sobre o homem-bomba Omar Ismail Mostefai, mas que o país só respodeu seus avisos após os ataques em Paris. Dois outros terroristas foram identificados: Ahmad Al Mohammad e Samy Amimour, este último teria entrado na Europa como refugiado, na Grécia.

Junto com outros dois homens, Salah Abdeslam foi parado pela polícia belga próximo à fronteira, mas não foi detido porque seu nome não estava na lista de procurados.

O cidadão belga Abdelhamid Abaaoud, de 27 anos, que está atualmente na Síria é suspeito de estar por trás dos ataques da última sexta-feira em Paris, de acordo com uma fonte próxima à investigação francesa. Segundo o jornal "Liberatión". Ele teria ligações com Sid Ahmed Ghlam, um estudante francês acusado de assassinato e terrorismo. Abaaoud nasceu em Molenbeek, subúrbio de Bruxelas, lar de outros membros de uma célula de militantes islâmicos que supostamente realizou o ataque.

O premiê da França, Manuel Valls, já havia alertado nesta segunda-feira para a possibilidade de ataques futuros ao país.O Ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, informou que 104 pessoas estão sob prisão domiciliar e 168 buscas foram feitas na noite deste domingo na França, acrescentando que 23 pessoas foram presas.



Últimas de _legado_Mundo e Ciência