Bélgica eleva alerta terrorista para nível mais alto

População foi aconselhada a evitar locais de grande aglomeração, incluindo shopping centers, shows e estádios

Por O Dia

Bruxelas - A Bélgica elevou o alerta de terror na região da capital Bruxelas para o nível mais alto, advertindo à população para uma ameaça "muito séria" e "iminente". O metrô vai fechar neste domingo. Moradores e turistas foram aconselhados a evitar locais de grande aglomeração, incluindo shopping centers e shows, informaram autoridades locais. Elas também recomendaram que eventos como jogos de futebol sejam cancelados.

Francês é preso na Bélgica acusado de envolvimento em atentados em Paris

Polícia belga durante caçada em Molenbek, subúrbio de BruxelasReuters

O alerta para o resto da Bélgica permanece em um nível mais baixo, apesar de igualmente sério. Bruxelas foi considerada o "centro nervoso" dos ataques em Paris na semana passada. Autoridades acreditam que foi na capital belga que os atentados foram planejados.

Ainda neste sábado, forças especiais da Polícia Federal belga prenderam quatro pessoas em um veículo suspeito na praça do Grand Sablon, no centro de Bruxelas, mas não há informações sobre os detidos. Autoridades belgas também informaram sobre a descoberta de armas na casa de um terceiro suspeito de envolvimento nos ataques em Paris. No entanto, a identidade da pessoa não foi revelada. Ainda segundo as autoridades, não havia explosivos no local.

Em outros desdobramento, a polícia turca afirmou que prendeu um belga de origem marroquina sob a suspeita de que ele vinha monitorando locais em Paris, informou a agência de notícias turca. Até agora, três pessoas já foram acusadas formalmente por envolvimento nos ataques, cuja autoria foi assumida pelo grupo autodenominado 'Estado Islâmico'.

Na noite de sexta-feira, milhares de pessoas se reuniram nos locais que foram alvo dos ataques em Paris para realizar uma vigília em homenagem às vítimas. Também na sexta-feira, o Conselho de Segurança da ONU adotou por unanimidade uma resolução para redobrar a ação contra o 'Estado Islâmico'. O documento, elaborado pelo governo francês, insta os Estados-membros a tomar "todas as medidas necessárias" na luta contra o grupo extremista.

Na semana passada, ataques simultâneos deixaram pelo menos 130 mortos e 352 feridos em Paris. O atentado foi o pior na Europa desde os ataques a bomba em Madri, em 2004. Também foi o mais sangrento em solo francês desde a 2ª Guerra Mundial.


Últimas de _legado_Mundo e Ciência