Por tiago.frederico

França - Policiais franceses detiveram neste domingo mais de uma centena de manifestantes que se opõem à realização da conferência sobre o Clima. “São pequenos grupos violentos que atacaram a polícia com projéteis e até mesmo com uma bola de boliche [bowling]", informou o chefe de polícia de Paris, Michel Cadot, acrescentando que nenhum dos manifestantes ou elementos das forças de segurança policiais ficaram feridos.

A marcha pelo clima, agendada para este domingo em Paris, cidade onde começa nesta segunda-feira a conferência das Nações Unidas sobre clima, foi cancelada por causa dos atentados de 13 de novembro na capital francesa.

O conflito entre policiais e manifestantes ocorreu na Praça de La La RépubliqueDivulgação

Em substituição, os manifestantes organizaram-se e enviaram para Paris alguns milhares de pares de sapatos, que cobriam a Praça La République, numa ação simbólica de representação dos ambientalistas e cidadãos que se juntaram à causa.

Segundo a Agência France Presse, a polícia francesa usou gás lacrimogêneo para conter várias centenas de manifestantes, muitos deles usando máscaras e atirando objetos nos policiais. Sapatos ou garrafas foram atirados aos polícias. Outros manifestantes atiraram contra as forças policiais uma barreira.

Os manifestantes, desafiando a proibição de qualquer manifestação após os atentados, foram encaminhados para a Praça La République, no coração da capital francesa.  A conferência das Nações Unidas sobre alterações climáticas é denominada COP 21 e dela deverão participar mais de 140 chefes de Estado e de Governo.

Em Paris, Dilma se reúne com líderes da Noruega e do Equador

A presidenta Dilma Rousseff se reúne neste domingo com a primeira-ministra da Noruega, Erna Solberg, e com o presidente do Equador, Rafael Correa. Ela está na capital francesa para participar do Evento de Líderes da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-21).

Entre o final da tarde e o início da noite, Dilma deve se encontrar separadamente com os líderes equatoriano e norueguesa. Na COP21, Dilma apresentará o resultado de medidas adotadas pelo Brasil para reduzir o desmatamento e a emissão de gases do efeito estufa na atmosfera. O Brasil e os mais de 190 países presentes no evento vão cumprir agenda que envolve duas sessões de trabalho, com fala dos chefes de Estado e de Governo.

De acordo com diplomatas brasileiros, o país busca um acordo para o clima que seja justo, equilibrado, ambicioso e duradouro. A delegação presidencial é composta pelos ministros do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, das Relações Exteriores, Mauro Vieira, e da Educação, Aloizio Mercadante.

Nesta tarde, Vieira tem encontros bilaterais agendados com os chanceleres do Marrocos e da Indonécia. O retorno de Dilma a Brasília está previsto para a madrugada de terça.

Você pode gostar