Estado dará apoio a municípios em caso de surto de dengue, Zika e chikungunya

Ministério Público do Rio vai cobrar que prefeituras atendam pacientes com sintomas das doenças

Por O Dia

Rio - O aumento alarmante dos casos de microcefalia e de doenças relacionadas aos vírus transmitidos pelo mosquito Aedes aegypti, como dengue e febre chicungunya, colocou o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro também em estado de alerta. O Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Tutela Coletiva de Defesa da Saúde está orientando os promotores de Justiça da área para que expeçam recomendações a todas as 92 prefeituras do estado, afim de garantir o direito dos cidadãos ao serviço de vigilância epidemiológica e assistência.

Aedes aegypti transmite as doençasBanco de imagens

Prefeitos que não seguirem as recomendações poderão ser responsabilizados civil, administrativa e criminalmente por omissão “na hipótese de explosão epidemiológica decorrente de inércia do município”, informa o MP.

Apesar da crise que abala os cofres públicos do estado, a Secretaria estadual de Saúde garantiu apoio aos municípios no combate ao Aedes aegipty. Além de criar centros de hidratação para municípios com surtos ou epidemias de dengue, a partir do dia 21 deste mês, passará a entregar carros para reforçar as frotas dos 92 municípios no combate às endemias. Na segunda-feira, haverá reunião com secretários municipais de Saúde para traçar estratégias conjuntas para o lançamento da campanha ‘10 Minutos Salvam Vidas’, no dia seguinte. O próximo dia 12 foi definido como o Dia D contra o Aedes aegypti.

No Rio, já foram notificados 23 casos de microcefalia este ano — contra a média de 12 registrada anteriormente a cada ano — e pelo menos dois com suspeita de associação com o Zika Vírus estão sendo investigados pela Fiocruz. Na última terça-feira, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Pan-Americana de Saúde pediram atenção especial para o aumento de casos de Zika, que já são registrados em nove países das Américas: Brasil, Chile, Colômbia, El Salvador, Guatemala, México, Paraguai, Suriname e Venezuela.

150 grávidas com suspeita

Desde que o estado tornou obrigatória a notificação de gestantes com manchas vermelhas na pele, no último dia 18, já foram notificados 150 casos de grávidas com esses sinais. Até o momento, apenas uma teve a confirmação de Zika Vírus, mas ainda não há confirmação se o feto apresenta microcefalia. A notificação deve ser feita por profissionais de saúde em até 24 horas após identificação de gestantes que tenham apresentado relato de manchas vermelhas pelo corpo, independente da idade gestacional.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência