Estado Islâmico confirma que atiradores da Califórnia são seguidores do grupo

FBI já investigava como 'ato de terrorismo' o massacre ocorrido nesta semana. Ataque deixou 14 pessoas mortas e 21 feridas

Por O Dia

Estados Unidos - O Estado Islâmico afirmou por meio de uma rádio online, neste sábado, que dois seguidores do grupo militante islâmico realizaram o ataque que deixou 14 mortos e 21 feridos na Califórnia. "Dois seguidores do Estado Islâmico atacaram há alguns dias um centro em San Bernadino na Califórnia", informou a emissão diária do grupo Al-Bayan.

Tashfeen Malik e Syed Rizwan Farook foram mortos em troca de tiros com a polícia depois matarem 14 pessoas na Califórnia Reuters

Uma agência de notícias que apoia o Estado Islâmico já afirmara na sexta-feira que os autores do ataque eram seguidores do grupo. No entanto, o EI não tinha reivindicado o ato terrorista até então. 

A polícia federal norte-americana (FBI) investiga como "ato de terrorismo" o massacre ocorrido nesta semana. Nesta sexta, a polícia anunciou que os responsáveis seriam um casal e que a mulher havia jurado lealdade a um líder do grupo militante Estado Islâmico.

Tashfeen Malik, de 27 anos, nascida no Paquistão, mas que morou na Arábia Saudita por mais de 20 anos, e seu marido norte-americano, Syed Rizwan Farook, foram mortos numa troca de tiros com a polícia horas depois do ataque de quarta-feira contra o Centro Regional Inland, uma agência de serviços sociais de San Bernardino, 100 quilômetros a leste de Los Angeles.






Últimas de _legado_Mundo e Ciência