Venezuela vota neste domingo dividida em eleições parlamentares

Coalização de oposição se diz favorita

Por O Dia

Rio - Quase 20 milhões de venezuelanos devem comparecer às urnas hoje para eleger 167 deputados que formarão a nova Assembleia Nacional, pelos próximos cinco anos. O mandato começa dia 5 de janeiro do ano que vem. Para as eleições serão habilitados 14,5 mil centros de votação e 40,6 mil mesas eleitorais em todo o território.

As eleições tendem a ser acirradas. De um lado, está o Grande Polo Patriótico (GPP), encabeçado pelo presidente Nicolás Maduro, e do outro, a oposição, a Mesa da Unidade Democrática. Maduro pede que o sistema socialista impulsionado por Hugo Chávez seja defendido nas eleições, enquanto a MUD convoca os eleitores a proporcionar uma mudança política na Venezuela.

Neste sábado, Maduro reuniu-se com representantes internacionais que acompanham o processo eleitoral. As delegações começaram a chegar no país em novembro e são formadas pela União de Nações Sul-Americanas (Unasul), pela Comissão de Especialistas Eleitorais Latino-Americanos (CEELA), ex-presidentes e intelectuais, que acompanharam as auditorias e a campanha eleitoral. Eles estarão presentem também amanhã, com o objetivo de garantir a transparência do processo eleitoral.

A Força Armada Nacional Bolivariana (Fanb) vai atuar para garantir que as eleições parlamentares na Venezuela transcorram com um clima cívico e democrático, segundo o ministro da Defesa venezuelano, Vladimir Padrino. O Conselho Nacional Eleitoral venezuelano determinou que nenhuma entidade pode divulgar projeções sobre as eleições deste domingo, pois o processo entra em etapa de reflexão prévia.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência